Eu nunca entendi… O único jeito de comemorar

Esse texto foi escrito antes de muitas garrafas de champanhe serem estouradas, antes do céu ser colorido por fogos de artifícios, antes de sete ondas salteadas, antes de lentilhas sorvidas, antes de amigos, famílias, se abraçarem, antes de muitos amantes darem seu primeiro beijo do ano, acompanhado do primeiro eu te amo.

Esse texto, não é uma confissão de solidão, não o faço para dizer do meu modo recluso de esperar a ilusão mágica de um ano novo. Não farei dele uma loa contra ou a favor.

Esse texto existe simplesmente para explicar, por isso é curto, as explicações longas são um pouco enfadonhas, nem toda gente as acolhe de bom grado, por isso meto mão de fazer uma curtinha, assim, como curto é o segundo que separa um ano do outro.

Daqui, da minha casa, farei uma festa silenciosa, estarei em comemoração, lembrarei dos muitos amigos, dos familiares, dos amores. Serei feliz sozinho nessa festa pessoal.

Afinal, não é porque me furto de uma festa coletiva hoje, que me furto da celebração, minha vida é toda uma comemoração. Quando cozinho para alguém, quando escrevo um poema, quando me enlaço num abraço, quando mando a mensagem dizendo saudades, quando cruzo com a moça que rega as plantas todos os dias no meu condomínio e a ofereço o bom dia mais solar que posso oferecer a uma pessoa, pois sou-lhe eternamente grato dela oferecer seu tempo em cuidado para as plantinhas.

Não sou triste, não estou cansado, só fiz essa escolha. É mais fácil de entende-la, do que o desamor das massas. Minha festa tranquila tal qual os lagos isolados de água paradas, aparentemente sem agito, porém cheios de vida e de mistérios.

Desejo o mistério, a verdade, a paixão, o merecimento e o contentamento para todas que hoje estão comemorando essa passagem de ano, em sua diversas formas, em famílias imensas, em pares apaixonados, ou nos silêncio de quartos, casas, apartamentos.

Daqui também lembrarei os que estão impedidos de comemorar, por suas diversas desventuras, em determinada hora, pensarei poesias de conforto, e desejarei para essas e esses, alento em vossos corações.

Aqui, na tranquilidade, escutando a festa lá de fora, sabendo que há muito festa aqui dentro.

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s